sábado, 27 de fevereiro de 2016

O MAR COM POESIA
















Tarde escura com vento e frio,
Mar bramindo em tom de arrepio,
Vem-se juntar à minha solidão.

Este mar bravo e a ventania
Levam longe a minha agonia,
Até me causar grande aflição.

Na branca espuma das suas vagas,
Dançam as minhas lembranças e mágoas
Que se riem da minha solidão.

E depois a revolta as embala,
Eu mostro-lhes a minha dor que fala
Bem cá dentro... dor de coração.

Eu bem vos ouço, vagas passageiras...
Na verdade, sois minhas mensageiras:
Levais, p'lo mundo, minha solidão.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

À ESPERA DE JESUS

Céu estrelado, Vento gelado, Sorriso estampado, Esperando Jesus. Ansiedade visível, Nervoso imbatível, Espe...