domingo, 28 de fevereiro de 2016

QUE EU DÊ BONS FFRUTOS







                      «Talvez venha a dar frutos»
Não me amaldiçoes como à figueira (cf Mt 21,19)
Ainda que eu me assemelhe a uma árvore estéril,
Para que a folhagem da fé
Não seque com o fruto das minhas obras.

Antes, fixa-me no bem,
Como o sarmento na vinha sagrada
De que teu Pai celeste cuida (Jo 15,2)
E que o Espírito faz frutificar pelo crescimento.

E à árvore que eu sou, estéril em frutos saborosos,
Mas fecunda em frutos amargos,
Não a arranques da tua vinha,
Mas muda-a, cavando-lhe em volta. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

SONETO BEM CRIADO

Nestas linhas mal traçadas, Há um soneto partido E mágoas anunciadas: Ouve-se long' o gemido. Nas linhas, há al...