terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

SUSPIRO DE LIBERDADE

 

Um suspiro solitário
À luz frouxa de um círio,
Vem o gosto literário
Colado à flor do lírio.

Será amor ou mistério
Sofrer assim voluntário:
É sonho ou é delírio,
Ou minha cruz e calvário?

Assim o céu é inferno
E não pode ser eterno
À luz da minha razão.

'Stou preso, mas me liberto,
Encontro caminho certo
no amor do coração.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

PELA AURORA

Campos fora, campos dentro, Lá vai correndo ligeiro. Vai a correr contr' o vento E eu sou seu companheiro. Campos ...