Follow by Email

sexta-feira, 20 de junho de 2014

SONHOS PERDIDOS


















As lágrimas secam no rosto sujo
Daquela criança só, a sofrer,
Abandonada como um sabujo...
Determinado a não morrer!

Pobre criança, já perdeu os sonhos!
Já nem aprecia a alvorada...
Os seus olhos estão sempre tristonhos,
O seu estômago nunca tem nada!

Não tem futuro, não tem esperança...
Quem são os culpados, pobre criança?
Não são seus pais: é a sociedade!

Não é culpado, infeliz infante!
Será um desgraçado militante?
Tirou-lh'os sonhos e felicidade!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário