segunda-feira, 2 de junho de 2014

OS AIS DA VIDA


















Num crepúsculo de gaze,
Anda alguém a cantar
Uma canção que é quase
Eco que passa no ar.
Fico a pensar e sonho
Que na vida amor ponho,
Mas ela rápida vai...
'Star de pé, logo se cai!

A juventude é linda,
Mas tudo desaparece
E não se viveu ainda
Mas o que foi bom esquece!
E o destino avança...
Vai-s' o mundo d' esperança!
E... num soluço, num ai,
Bem depress' a vida vai!

A velhice bat' à porta
E traz a desilusão...
O tempo dos sonhos corta
E embala-os no chão!
É a saudade da alma
Que vive cheia de calma
E, s' a gente se distrai,
Há sempr' um sonho que cai!

P'lo sonho é que se vai!
Caiem as folhas... Eu choro
Por cada folha que cai...
Ou rio... até adoro:
Crepúsculo indeciso,
Na vida me martirizo...
Mais um poema que vai,
Na saudade e num ai...

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

DELÍRIO AO PIANO

A tecla, mais doce que um carinho Do meu piano ebúrnio, soluçava. Era como ouvir um sol mansinho, Em cada nota que ne...