Follow by Email

domingo, 22 de junho de 2014

CAI A TARDE SOBRE O DOURO


















Num prado verde da fresca margem do Douro,
Vi as águas serenas, fitei meu reflexo,
Olhei as colinas cobertas de sol d' ouro,
Vi montanhas reflectidas no rio fresco.

Deslizava silencioso, 'stava terno,
Vi que não tinha pressa de chegar ao mar:
Qu'ria contemplar beleza, solo materno,
Enamorado da ribeira a desaguar!

Raios de sol exaltavam a Natureza,
O mundo era um sonho de paz dourada!
Repouso o olhar no encant' e beleza
E mergulho, sereno, na água parada.

Um poente de sonho com certa pureza
Eterniza a profunda brisa do amor!
O horizonte azul transfigura beleza,
O cair da tarde traz um certo torpor!

O vento atravessa manso, sopra vago,
Melodiando a tarde e coração.
As estrelas já 'stão pinceladas no "lago"
E meus sonhos são sentimentos de paixão!

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário