terça-feira, 24 de junho de 2014

ADOLESCENTE AMOR AO VENTO























Vento, que na sua sinfonia, entoa
Doces acordes que, soando, vão p'lo céu,
Fazem linda cantiga que, sem rumo, voa,
Encantando até o ofuscado breu.

E, com ânsia, buscam os apaixonados,
De mansinho, acariciar corações.
Também, sem querer, ficam aprisionados
Quando levam por diante suas paixões.

Em doce brisa leve se tonou o vento,
Dando liberdade de sonhar ao luar,
Afagando seus corpos a todo o tempo...
Permite devaneios e fá-los dançar.

E o vento vai-se tornar mensageiro
De recadinhos par'a musa encantada...
Como ele se sente feliz por inteiro,
Quer que ela continue a ser amada...

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

O CÉPTICO TAMBÉM PENSA...

Deus há muito desceu no Ocidente, Lá, por trás dos montes de rosa tingidos... Vejo o mundo que ante mim s' estende ...