terça-feira, 3 de abril de 2012

A FONTE DONDE JORRA O PERDÃO























Pregado de pés e mãos sem lutar,
Cravado na Cruz, és escarnecido,
Braços abertos... Com' é dolorido!
Consagraste  o Amor nesse Altar!

Quando, próximo do Teu expirar,
Outorgaste o perdão num gemido
E absolveste, com o fel bebido,
Os que Te 'stavam a crucificar!

Esquecido de Ti, com piedade,
Ao bom ladrão fizeste como filho,
Concedendo-lhe o Reino também!

Conhecendo bem a Humanidade,
Disseste a Maria: «Eis Teu filho»
E a João: «aí tens tua Mãe»!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...