Follow by Email

terça-feira, 11 de abril de 2017

POR AMOR, SOFRESTE!

























Chora, minh' alma de íntimo ferido,
Neste amor infeliz, como se fora
Um crime, aos olhos de quem Te adora,
Querendo-Te, crê-Te assim ofendido.

Crua e dura lâmina homicida,
Com desdém, vara-Te o peito, embora,
Teu grande amor cresce e nele mora,
Só findará quando terminar a vida.

Ó meu Senhor, Como que num mar sem fundo,
Encheste-me de um amor tão profundo,
E fizeste em mim Teu Real abrigo!

E eu procurei uma taça de ouro,
Guardei Teu Sangue, Meu real Tesouro,..
Assim, Com Teu amor, viverei Contigo!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário