sexta-feira, 7 de abril de 2017

INDIFERENÇA












Que bom qu' a vida nos fizesse vencedores
De todas as diferenças e desafios,
Fosse possível restringir as nossas dores
E nos desviasse dos caminhos sombrios!

S' acaso fossem desventuras os factores
Que nos levassem a cometer desafios,
Alguém pudesse ouvir os meus clamores
E, ao crepúsculo, deixass'  os calafrios!

Clamores de quem ama e não é amado,
Pois que ninguém quer ser desamparado,
Num paradoxo um tanto indecifrável.

Inclusiva tese louca, inacabada
Que torna solitária a madrugada...
Acabasse a diferença sofismável.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...