Follow by Email

segunda-feira, 3 de abril de 2017

O POR DO SOL















Gosto de ver o sol a por-se lento,
Qu' em tarde morna, vai só, sem defesa.
Vai esconder-se, sente-se lamento
Nos tons da luz e da real beleza!

Mas, vai calmo e sem nenhum tormento,
Revela tanta paz, tanta grandeza!
Traz encanto subtil nesse momento,
Apagando sua luz em pureza!

Gostava de ser sol do fim da tarde,
Luzindo de amor, mas sem alarde,
Ter sua nobreza, sua calma;

Trazer comigo luz do fim da tarde,
Apagar a dor qu' em minh' alma arde...
Nascer n' aurora com serena alma!

Modesto















Sem comentários:

Enviar um comentário