Follow by Email

domingo, 17 de julho de 2016

ÚLTIMO ADEUS



















Apesar de minh' alma naufragada
Neste cálic' amargo da saudade,
Queira Deus a via iluminada
Te guie da sombra à claridade.

Nesta desventura és consolado
Por velados suspiros de saudade,
Queira o céu levar-te confortado
Com nosso amor prá eternidade.

Entre flores, lágrimas e afectos,
´Stá o adeus d' amigos predilectos
Qu' o acaso da vida pôs dispersos.

Coube-me, a despeito deste pranto,
A glória de render-te com meu canto
A gratidão que trago nestes versos.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário