segunda-feira, 10 de novembro de 2014

SUBIR À MONTANHA




















Arrojado, intrépido, ele procura
O alto do mont' abrupto. Já vai a meio!
Pára, contempla a desmedida altura,
Vê, à distância, aldeia donde veio.

E sobe, sobe mais a montanha, escura
P'lo nevoeiro que tornou o abismo feio!
E continua - entusiasta bravura!
Mas, não deixa de em seu peito, ter receio.

No alto, a glória, a conquista... Sonho
Efémero e fugaz, mas bom e risonho,
Vai prosseguir a escalada bem medida.

Pára, contempla o horizonte, olhando
A maravilhosa paisagem! Vai rezando...
Subir à montanha, alegra-se a vida!

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário

O CÉPTICO TAMBÉM PENSA...

Deus há muito desceu no Ocidente, Lá, por trás dos montes de rosa tingidos... Vejo o mundo que ante mim s' estende ...