sábado, 16 de junho de 2012

SONHOS DE ESPERANÇA E TRANQUILIDADE


















No silêncio da minha tranquilidade,
Sinto os olhos vestidos de harmonia,
Adormeço no sossego da suavidade
E sonho, navegando p'la noite tardia:

Levo numa mão o prazer da liberdade,
Nos bolsos, sonhos de sorrisos bem guardados,
Sussurrando palavras de acuidade
Às doces ilusões dos meus tempos passados.

Na outra mão, a ironia do destino,
Quando voava pelas nuvens, em menino...
Linha da vida traçada à luz da paz.

Linha onde vagueio: São os meus espaços!
D'acordo com a mente, partilho abraços,
Deixo entrar o sol qu'a esp'rança me traz.

Modesto

2 comentários:

  1. Lindo, meu amigo! Gosto muito das suas postagens. Vou partilhar este texto no meu blogue.

    Bem haja! Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado! Sinto-me lisongeado por ter um poema meu no seu blogue! Abraço amigo.

      Eliminar

SONETO BEM CRIADO

Nestas linhas mal traçadas, Há um soneto partido E mágoas anunciadas: Ouve-se long' o gemido. Nas linhas, há al...