quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

VELANDO O MENINO


















Sou peregrino do caminho santo,
Tenho na alma lâmpada de cego,
As invisíveis amplidões de pranto
Que iluminam negro sobre negro.

Eis o Amor no berço sacrossanto!
Eu, feliz, nas Tuas mãos me entrego.
Vou compondo as dobras do Teu manto,
És o Filho leal a Quem não nego.

Ao poeta, a Natureza fala,
Enquanto estremece ao escutá-la,
Transfigurado de emoção, sorrindo...

Sorrindo aos céus que se vão desvelando
A mundos que se vão multiplicando,
A portas d' ouro que se vão abrindo!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...