sábado, 17 de dezembro de 2016

IGREJA DE SANDE

















Igreja-Mãe... e a Grei a acompanhá-la,
Um Éden ruralino que eu diviso!
Beja-a o sol nascente, ao acordá~la,
Tu és, Igreja rural, um Paraíso|

Teu despertar tem o fulgor da opala,
Quando te dour' a auror' em seu sorriso.
Saudades de ti leva quando abala
O sol da tarde, lento e indeciso.

Outra causa, porém, é que me induz
Chamar-te Paraíso, Éden de Luz,
A ti qu' a Luz de Deus tanto alumia.

É porque vejo que diariamente
Há no teu Sacrário quem s' alimente
Da Árvore da Vida - Eucaristia!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...