quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SILÊNCIOS E SILÊNCIO

















Há silêncios que são agressivos:
Magoam como setas ou adagas.
Na vida, são representativos
De vidas hostis, de lutas amargas.

E há silêncio persuasivos,
Valem mais que mil e uma palavras.
Permitem reflexões com os amigos
Que vivem a vida sem agravos.

À medida que avançam os dias,
Vão-se tornando boas companhias,
Falam nas ocasiões oportunas.

Mas há silêncios desnecessários,
Por qualquer coisa ou motivos vários...
Tratam-se de maneiras importunas.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...