Follow by Email

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

NOITE FRIA
















Dia, não acabes, noite, não me leves
Nas asas das trevas frias, sem matéria.
Qu' a eternidade faça vidas leves,
Com um agasalho, nesta miséria!

Noite, esvazias-te  na luz sidérea,
Dá-me dia, nos meus dias, sempre leve,
Que viva em cor-de-rosa sem miséria...
Tira-me a cruz negra do frio da neve!

Sob ondas das nuvens, 'stá meu conforto,
Nesta terra, cais da vida, o meu porto...
Leva-me pra lugar quente pra amar.

Noite fria, do meu mau dia, leva
Prá luz que vai surgir, alegre treva!
Do céu virá Estrela sem s' apagar!

Modesto



Sem comentários:

Enviar um comentário