NOITE FRIA
















Dia, não acabes, noite, não me leves
Nas asas das trevas frias, sem matéria.
Qu' a eternidade faça vidas leves,
Com um agasalho, nesta miséria!

Noite, esvazias-te  na luz sidérea,
Dá-me dia, nos meus dias, sempre leve,
Que viva em cor-de-rosa sem miséria...
Tira-me a cruz negra do frio da neve!

Sob ondas das nuvens, 'stá meu conforto,
Nesta terra, cais da vida, o meu porto...
Leva-me pra lugar quente pra amar.

Noite fria, do meu mau dia, leva
Prá luz que vai surgir, alegre treva!
Do céu virá Estrela sem s' apagar!

Modesto



Comentários

Mensagens populares deste blogue

NASCESTE, FILIPA !

A VIDA TEM OUTRO SABOR

SALVEMOS O PLANETA