sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

UMA HONROSA VISITA
















Eu estava a contemplar a Natureza
E perguntei-me porque não havia paz.
O Homem não percebeu a sua grandeza
No Projecto de Amor que sempre Deus faz.

São sensações inexprimíveis que senti
N' alegria que há no abrir duma flor!
Pensei ouvir a flor dizer-me: "Sai daí!",
Sentiu que eu estorvava o seu labor.

Fiquei ainda mais absorto e louvava
Nosso Senhor a meu lado a caminhar!
Senti uma paz que, aos poucos, me tomava
E contemplei a Natureza a amar.

A Natureza é nossa sobrevivência.
Eu procurava paz, aprendi a lição:
Tratar a Natureza com eficiência,
Gostar dela, não a 'stragar... É atracção!

Andava sem rumo a ver o horizonte,
Percebi que o Senhor me ia levando!
O Omnipotente mostrou-me uma fonte
Que jorrava água pra m' ir saciando!

Bendito, Senhor, que dispensa Seu favor
E um unguento pra minh' alma aflita!
Pois apraz-me o Seu Infinito Amor:
Visitou Seu Jardim, fez-me uma visita!

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...