segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

SENTADO À BEIRA RIO






















Sentei-me à beira rio,
Com sol a bater no rosto,
Com vento de arrepio,
Apesar de ser Agosto.

Vi-me reflectid' em ti.
Tocaste a minha mão.
Corei e estremeci...
Difícil situação!

Ond' isto irá parar?
(Apeteceu-me dizer!)
Deste-m'a boca a beijar...
Nada mais pude fazer!...

Sentiste o meu desejo,
Mesmo sem eu o saber:
Foi um toque mais um beijo...
Deixamos acontecer!

Bem me fizeste sentir,
assim queria ficar!
Tu puseste-te a rir
E eu fiquei a sonhar!

Olhamos o horizonte...
Eram olhares, carinhos...
Adiante 'stava a ponte
E muito par aos beijinhos!

Disse palavras sinceras,
Vi-te nelas concordar:
Vamos amar-nos deveras
E d' amor nos saciar?...

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...