domingo, 19 de janeiro de 2014

E OUVIU O MEU CLAMOR














Regressaram as cruzes ao meu peito,
Tiraram-me alegria e sonho:
Há um trono de dor insatisfeito,
A percepção duma vida sem dono!

É este o reinado da ilusão
Ininteligível nos seus elementos,
Sensibilidades sem intenção
Que se fixaram nos meus sentimentos.

Ecoa aos ventos uma canção
Fria! E colhe minha solidão!
Já nem falar sei, com tanto tremor!

Uma grande angústia que não passa
Vem descarada e é de má raça...
Então... Ele ouviu o meu clamor!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

NA VIDA...

Na vida, temos de despir o ser E levar a alma plo universo, Sem querer viver com o verbo ter Porque, por bem, n...