quarta-feira, 5 de julho de 2017

SONHO DE PAZ



















A gaivota paira no azul do mar,
Transporta nas asas o meu pensamento
E leva, lá longe, este meu pensar
Alado, a voar ao sabor do vento.

É muito bom sentir a brisa no rosto
E com este sonho que eu bem entendo:
Sei que vai longe, até onde eu gosto,
Ao infinito, qu' é o  que eu pretendo!

Pla 'strada prateada daquela onda
Foi-se a gaivota, voltou a pomba
Branca, luminosa, a espalhar paz!

Pena! Foi-s' o sonho, com ele a noite!
Recordo a vida de crianç' afoite...
Acordo infeliz dum sono fugaz!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...