Follow by Email

segunda-feira, 3 de julho de 2017

COMO SOL DE VERÃO















És igual a um dia de Verão,
Mais afável e belo teu semblante:
Vento lev' a flor 'inda  em botão,
Que dura apenas breve instante.

Pois, por vezes, a luz do céu calcina
E teu tom também perde a clareza,
No teu rosto, a beleza declina...
É a vida e as leis da Natureza!

Teu Verão é eterno, não acaba,
Se pões uma sombra que não se rasga
E ficas na posse das formosuras.

Enquanto houver gente nesta lida,
Hei-de versejar-te toda avida,
Com bom poema no tempo que duras!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário