segunda-feira, 10 de julho de 2017

ALMA PALPITANTE

























Ó alma tão doce e palpitante!
Que cítaras soluçam solitárias,
Em sonho secreto e fascinante,
Por terras longínquas, visionárias?!

Quantas zonas de luz purificante,
Quantos silêncios e sombras várias
Falam contigo, alma cativante,
D' esferas celestes imaginárias?!

Que cham' acende teus faróis nocturnos
E veste mistérios taciturnos
Ao esplendor do Arco d' Aliança?

Por qu' és assim, melancolicamente,
Como um Arcanjo adolescente,
Caminhante pla vida d' esperança?

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

A BELEZA DA IDADE

A beleza dos primeiros cabelos brancos São como fios de prata a decorar A vida que passa. Isto não me traz prantos... ...