sábado, 10 de junho de 2017

SOU LIVRE

















Sou livre da matéria escrava,
Arrancando grilhões que me flagelam.
A alma empresta-me sua lava...
Sou livre de entrar nos Dons que selam.

Livre da humana terrestre baba
Dos corações frios que me regelam,
Contra a infâmia que deprava,
Logo que os sentidos se revelam.

Sou livre para viver bem mais puro
Junto à Natureza, mais seguro
Do seu amor e toda a justiça.

Sou livre para sentir a beleza
E gozar da universal grandeza,
Sou livre na paisagem que buliça.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SONETO BEM CRIADO

Nestas linhas mal traçadas, Há um soneto partido E mágoas anunciadas: Ouve-se long' o gemido. Nas linhas, há al...