sábado, 3 de junho de 2017

NESTA MANHÃ



















Quero dar-t' o infinito,
Se me deres, sem um  grito,
Uma cantiga bem pura
Que pareça mais ternura
Do que teu amor aflito.

Quero teu corpo aberto,
Com' o céu sobr' o deserto,
No meu sonho mais contrito.
Como se fosse alegria,
Numa simples sinfonia
Do teu amor bem bonito.

Como rosa enlunada
E que foi por mim plantada,
Na beira do teu jardim.
Ilumina coração,
Na sombra desta paixão
Da manhã ao pé de mim.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

UM PAR DE ASAS

Se eu fosse águia ou cotovia Com liberdade plena à minha mão, De voar segundo a minha fantasia, De abrir as asas e ...