quarta-feira, 29 de junho de 2016

JUNTO AO DOURO

















Aqui, no meu crepúsculo, compaz-m' ainda
O Douro entoando cântico de mágoas.
E das mais belas sensações é a mais linda
A lamuria que vai embora c'oas águas.

Aqui vivi amores qu' 'inda me desmágoam,
Entre sussurros de saudade que se finda.
O Douro persiste em arrastar a mágoa
Num desfecho final da paixão qu' era linda.

Quantas vezes à sombra deste estribilho,
O amor fazia de mim um andarilho
Da solidão dos amantes em bom sonhar.

Amor que fazes que nos percamos na vida,
Sussurrando uma canção desconhecida
Como o Douro e nós morremos num mar.

Modesto




Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...