quinta-feira, 2 de junho de 2016

A LOUCURA DO POETA



















O poeta é um louco inconcebível,
É um mago com sua quântica loucura
E nele o eterno pode ser possível,
Naquela dimensão possível da ternura.

Bem aventurada esta insanidade!
Toda a ferida se cura pela dor,
Por ela conquistará a eternidade
A gloriar-se da reposição d' amor.

Ninguém pode evitar que seja assim:
Ele vive pelas veredas do jardim
A implementar a memória das rosas.

Só tem um ser d´amor: Sua alma repleta!
Cativ' a alma de todos como poeta:
Ardoroso coração pra mulher formosa.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...