segunda-feira, 6 de junho de 2016

LOUCURA DE DEUS, MISÉRIA HUMANA



















Bom Jesus, amador das almas puras,
Bom Jesus, amador das almas mansas,
De Ti vêm angélicas doçuras,
De Ti Vêm serenas esperanças.

Por toda a parte vejo que procuras
O pecador ingrato, não descansas
Sem qu' os espíritos ganhem altura
Para lhes dar as bem-aventuranças.

A mim, pois, ao meu grave desvio,
Vem abrandar o meu cruel destino:
Noite e dia, em lágrimas me banho.

Tem compaixão de mim, Pastor Divino,
Ao terminar este degredo estranho,
Esta ovelha não falte ao Teu rebanho.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...