Follow by Email

sexta-feira, 20 de maio de 2016

O MEU BALOIÇO

























Na minha terra em pequeno,
Tinha um inquieto baloiço,
Hoje vejo-o sereno...
'Inda meus gritinhos oiço!

Longas horas baloiçava
Meu frágil corpo menino,
E subia e baixava
Num constante desatino.

O baloiço, à distância
Chama p'la minha infância,
Eu choro p'lo que passou.

E, sem haver quem me oiça,
O baloiço me balança
No que fui e no que sou.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário