segunda-feira, 2 de maio de 2016

UM POEMA DA PRAIA


















É a hora de voltar,
A brisa acalmou o mar
E vai acalmar o vento
Nos sonhos do pensamento
Que não deixa de gritar,
Nesta noite ruidosa
Desta onda sinuosa
Dos caminhos do luar.

Se não fossem os rochedos,
Mistérios e segredos...
De novo ia voltar.
É quase amanhecer
A noit' a desap'racer...
Sonho enquanto há tempo
Sonho mesmo ao relento,
Que o sol já vai nascer.

A aurora já vem no mar...
Começa a nostalgia,
Ao ver de novo o dia,
Vão-se os sonhos, ilusão!
Praia, sinal de Verão
E há sereias no mar...
Já levantei a esteira,
Saiu areia derradeira,
No fim da minha ' stação.

Modesto
                                

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...