segunda-feira, 11 de abril de 2016

NUMA FOLHA DE PAPEL

























Há uma folha de papel em branco,
Ou seja ela doutra cor qualquer,
Desperta em mim um desejo franco,
Inspirado no que der e vier.

Há lembranças do que já se passou,
Recordações dispersas e sem fim,
Um sonho que não se concretizou
E tantas coisas que surgem assim...

Na madrugada surge mais um dia.
Começa com fé, paz e alegria...
Descrevo um amanhecer de sol.

Acredito que Deus me dá guarida
E descrevo as páginas da vida,
Pois cada dia tem um arrebol.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...