quarta-feira, 20 de abril de 2016

BOSQUES SEDENTOS

















Quando os musgos já são entardecidos
E as flores ficam assim tão enxangue,
Há locais perdidos e desbastecidos,
Flores desmaiam, com uma cor de sangue.

Sobr' o bosque cai a tarde cinzenta
E a estrela da noite o subjugou,
Pendem as hastes de uma forma lenta,
Cansada, a corola s' esboroou.

Os cílios baixam-se, pedindo chuva,
Quase como na vinha murcha a uva
E tudo fica seco e esgotado.

Vejo isto e lágrima m' escapa,
Nem a sombra dos pinheiros forma capa...
Só fico contente se for orvalhado.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...