sábado, 30 de abril de 2016

CÂNTICO DE AMOR


















Há algo em ti que eu já conhecia,
Como plumas d' aves que vês à janela,
Algo que flutua pela tua via,
Como 'spuma do mar e tu sobre ela.

Há alguma luz nas ondas luminosas,
Asas de gaivotas, seda de libélulas.
Algo que em sonho fala com rosas:
Serás um bocado da ternura delas?

É algo tão leve e inamovível,
Com' aroma da brisa imperecível...
É belo esse amor em que ardias!

Tua face é como duas maçãs
Que caíram no orvalho das manhãs
Iluminadas d' amor por que te guias!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SAUDADES, MÃE !

Vejo-te num anónimo jazigo Humilde, ond' a paz se nos revela. Erguida, junto dum ciprest' antigo, Contemp...