sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A BELA SEREIA DO MAR



















Pálida à luz da lua sombria,
Dorme num leito de flores reclinada.
Entre as ondas do mar ela dormia,
Como a lua da noite desmaiada.

Era sereia do mar na 'spuma fria,
Pela maré das águas embalada.
Em sonho, se lembrava e esquecia,
Como anjo, entre nuvens d' alvorada.

Era tão bela! Seu seio palpitava,
Em formas nuas, seu leito resvalava,
Seus verdes olhos, as pálpebras abrindo.

Por ti, tantas noites velava, chorava!
Mas, não te rias de mim, meu anjo lindo!
Por ti, nos meus sonhos, morrerei sorrindo.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AS FRAQUEZAS DA VIDA

Eu não sei se há algum fundamento Andar com a vida sem sintonia. A esperança levou-a o vento... Pois tudo tem que aca...