Follow by Email

segunda-feira, 22 de junho de 2015

HOJE NÃO HÁ ESTRELAS

















Esta madrugada não vi estrelas
Aquelas que brilham nem as cadentes.
E hoje que queria tanto vê-las,
Com seu trémulo brilho tão silentes!...

Hoje só há nuvens estonteantes,
A lua cheia perdeu luzidio,
O vento faz uns ruídos constantes
Que acordam os ecos no vazio...

Hoje vejo sombras negras distantes,
Como meu pensamento fugidio,
E os pássaros cantam dissonantes!

Da minha alma ouço os murmúrios,
Fico em silêncio lancinante...
É uma manhã que só traz barulhos!...


Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário