sábado, 30 de maio de 2015

MARCO, TERRA DE SERRAS ENCANTADAS



















Vivi numa pequena aldeia serrana
Tingida pelo verde intenso duma serra.
Este é o chão donde minh' alma emana,
É o meu lar e a minha querida terra.

Aqui revia verd' intenso dos pinheiros,
Refúgio de encantos e ilusões,
À sombra deles escrevi versos inteiros
De sonhos, fantasias e recordações.

Deitado no chão onde nascem as flores,
Sorvi o ar sempre leve, fresco e puro.
Este é o torrão maior dos meus amores,
A raiz do meu passado e meu futuro.

Aspirei o odor da terra ao luar,
O bom perfume dos jardins cheios de fama.
Toquei melodias qu' 'inda pairam no ar...
Ficou a saudade que m'  acende a chama.

Vivi numa pequena aldeia serrana,
Minha esperança, a luz do meu viver.
É ela o chão donde minh' alma emana,
Raiz de amor que jamais vou esquecer.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...