quarta-feira, 13 de maio de 2015

ECOS DAS MONTANHAS



















Ouço um grito na surdez do vento
Que surge das verdejantes montanhas.
Eco que rompe o meu pensamento
E liberta as dores das entranhas.

Atordoado, ouço um lamento:
São cantigas que já soam estranhas.
É elo que liga meu pensamento
Aos ecos de antigas artimanhas.

O meu olhar avista o cinzento,
Cor e reflexo doutras tantas sanhas
E tons esmorecidos no momento.

São ecos que tiram dores tamanhas!
Busco quietude, central intento,
E encontro-a na paz das montanhas.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...