Follow by Email

domingo, 3 de maio de 2015

A MÃE QUE ME DEIXOU




















A vida que eu gostava
Rompeu-se - ó desgraçado!
Há lembranças do passado...
Perdi tud' o que amava!

Nada foi como pensava:
Amor de mãe é sagrado,
Ao dormir acalentado,
Com seu amor me beijava!

Meu destino - treva densa -
Dentro de mim, não se finda.
Faz-me falta na doença!

Minha mãe, que noit' infinda!
Ao dormir, deste-me crença...
Mãe, eu amo-te ainda!



Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário