sábado, 9 de maio de 2015

O LUAR DOS POETAS



















Neste luar de emoção e beleza
Qu' ilumina a nossa noite escura,
Existe bondade que se faz grandeza,
E há dor sofrida que se faz doçura.

É muda a expressão da Natureza:
Há beijos d' amor, sorrisos de candura
Qu' aliviam a dor, levam a tristeza...
Mas, pró poeta, é mística tortura.

É um mistério o céu estrelado,
Reflectido num pântano estagnado,
A lua a raiar no negro da bouça.

O poeta escreve atarefado,
Os raios da lua são o seu fado,
Enquanto seu coração, d' amor balouça.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AOS RAIOS DO LUAR

Nos belos raios do luar, floria Rosa ideal, resplendor d' Halade! Erravam fluídos de harmonia Pela etérea, branca cla...