LIVRO DAS MEMÓRIAS






















Ainda me lembro e com respeito,
Do dia em que olhaste para mim!
Idas suadas, aperto no peito,
Já sabia que eras para mim.

E hoje, já passados tantos anos,
A mesma realidade a dois.
Já falham memórias, não os planos
Como vontade, paixão... o depois!...

A vontade não chega mas perdoa
E a saudade no peito aperta,
Vidas vividas e com bom viver.

A memória já nos atraiçoa...
É sempre o coração que desperta
Prás coisas que devíamos ir ver.

Modesto

Comentários

  1. Quem acompanhou a sua poesia nos três anos passados...maravilha-se com a evolução positiva, não dos temas, que foram selecionados e assumidos desde o início desta sua nova paixão...mas na facilidade flúida com que exprime sentimentos e emoções de excelência intelectual e poética!!! Aproveite bem a renovação vital que Deus lhe concedeu, e que tanto merecia!!! Um abraço, sempre...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

NASCESTE, FILIPA !

A VIDA TEM OUTRO SABOR

SALVEMOS O PLANETA