terça-feira, 5 de março de 2013

AMOR AMENIZANTE DA MÃE


















Vejo-me tão só em amargo pranto,
Agonizante na vida, sofrido...
Ecoa na minha alma um canto
Que me cantavas com amor vivido!

Abafo os soluços, consumido,
E lembro o amor que davas tanto!
Quero que nunca seja esquecido
O gesto de me cobrir com teu manto.

No meio das flores vejo o teu vulto!
És a personificação das flores,
Suavidade e beleza são os teus frutos.

Encantas-me na beleza das cores!
Na minha mente, tua alma é culto,
Lembranças que amenizam minhas dores.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...