Follow by Email

sábado, 16 de março de 2013

EU QUISERA






















Eu quisera salvar a distância
Deste abismo fatal que nos agride.
Embriaguei-me de amor com fragrância,
Mística pura que do teu ser derive.

Eu quisera ficar c'um dos teus laços
Com que decoras teus belos cabelos
E queria, no colo dos teus braços,
Ter a dita d'em volta de mim tê-los.

Eu quisera ser a água e as ondas
Onde teu corpo viesse banhar-se,
Para poder, num dos sonhos que sondas,
E nesse sonho poder abraçar-te.

Eu quisera ser porta e tu fecho,
Para nas sombras do ardor cobrir-te,
Brincar com os lacitos do teu peito,
E morrer de prazer ao comprimir-te.

Oh! Eu quisera muito mais! Quisera
Levar-te em mim nas nuvens de fogo
E nelas voar por toda a esfera,
Agarrados, ficar unidos logo.

Quisera unir a nossa essência,
Agarrar-nos de braços estendidos,
Unir a tua à minha existência
E consagrar a ti os meus sentidos.

Modesto



Sem comentários:

Enviar um comentário