quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

MELANCOLIA

























À volta da era preta,
Cada movimento teu
O meu sentido desperta,
Vigilante com' o céu!

O ar é muito suave!
Há receio! O que é?
Voa, junto, uma ave
Que quer pousar no teu pé!

Eu vou falando sozinho,
Encostado ao pinheiro.
Os ramos do azevinho
Afagam-m' a dor 'spinheiro!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...