sábado, 31 de janeiro de 2015

A NOITE

























A noite vem de mansinho.
Horas passam devagar.
Pássaro recolh' ao ninho.
A lua 'stá a chegar.

A noite cai, vem o frio,
Acende-se a lareira,
Com música, assobio...
No céu há uma clareira.

Vejo a televisão...
Todas elas em novelas!
Saio prá escuridão
Pra poder ver as estrelas.

A noit' embala segredo
Das horas da madrugada.
Dos sonhos já tenho medo,
Pois não irão dar em nada!

Adormeço na 'sperança
De ver a manhã chegar.
Deixo as 'strelas em dança,
Para a lua passar.

Já está amanhecer,
Saúdo o novo dia,
Começo a escrever
Uma nova poesia.

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCANSO DUM SONHADOR

A cabeça pendida docemente Em sonhos do sonhador inquieto: É o sonho o seu bordão clemente E repousa num descanso discr...