Follow by Email

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

DESTINO

Escrevo como quem toca violino,
Desejando compor uma sinfonia
Que seja para nosso amor um hino,
Cantado em grandes coros d'alegria.

Faço versos que tocam teu coração,
Que te libertam, que te fazem feliz,
Que caminham procurando direcção:
São teu sol da manhã, como sempre quis.

Escrevo pró dia em que partirei,
O destino mostra o que já sei:
Que cantarás no dia em que eu for.

Já que confiança em ti encontrei
E para onde vou também saberei
Que guardas meus poemas com amor.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário