terça-feira, 14 de abril de 2015

SOLIDÃO



















A solidão não se consegue medir,
Embora me golpeie e me dê dor
Ao ritmo do vento que vem abrir
Maior sofrimento se vem sobrepor.

Mas deste sufoco tenho de sair,
Contando com a ajuda do Senhor.
A dor no meu peito está-m' a ferir,
Por causa do caudal do rio d' amor.

Quando s' é novo, suporta-s' amargura...
Mas, na minha idade, a desventura
Torna ocos estes dias sós e vis!

Ah! Quando a noite cai, há dores febris!
Sozinho em casa, sinto-lh' a largura...
'Spero qu' esta dor não deixe cicatriz!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

O CORAÇÃO DO SER HUMANO

O coração de todo o ser humano Foi concebido para ter piedade, Pra ser doce no eterno desengano, Para olhar e s...