segunda-feira, 20 de abril de 2015

PASSEIO MATINAL

















Claro azul matinal, com nuvens claras,
Sorri, num frémito, o verde campo.
Finas tramas de luz, suaves e raras,
Vestem a paisagem de raro encanto.

Céu de safira, esmeralda tremente,
Área de luz d' ilesa alegria
Dos pássaros que edifica a gente...
Vou ao campo gozar esplêndido dia.

Saio. A brisa estremec' a folhagem,
Envolta em luz e bêbada de sons...
Subo ao alto, abranjo a paisagem,
Numa explosão multíplice de tons.

Aves, voando em torno, inquietas,
Como eu na mesma ânsia sofrida,
Vou sorver frutos em taças repletas,
Com guloso  olhar, vidrado na vida.

Frutos à luz, estrelejando nas ramas,
De incidências vivida ao sol.
Alguns são vermelhos como as chamas...
Passeio vivo, quente de arrebol.

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário

UM PAR DE ASAS

Se eu fosse águia ou cotovia Com liberdade plena à minha mão, De voar segundo a minha fantasia, De abrir as asas e ...