Follow by Email

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

PERDIDO NO NEVOEIRO
















Não fosse a vida imensurável desafio,
Viver só por viver não valeria a pena...
É preciso ouvir e ver o passar do rio,
Entoand'à luz da lua canção amena.

É preciso reinventar cada jardim
E ver o reflorir que tem a Primavera:
Tudo se redefine - princípio e fim -
E já o ciclo da manhã se tornou Era!

Cantando sob o arco-íris canção boa,
Liberto as mágoas em decantação!
Eis qu'é preciso retornar a Quem entoa
A canção melódica do meu coração.

Quantas vezes eu me perdi no nevoeiro,
Vi precipícios e vivi por defeito!
Mas, apesar desse cântico agoireiro,
Um coração ainda vive no meu peito!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário