Follow by Email

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

ESPERANÇA























Há coisas que não cabem neste mundo.
No mundo, há coisas que não pod'haver.
Há o enigma do meu ser profundo,
Nas coisas que m'invadem sem saber...

Há lágrimas d'amor em que m'inundo.
Há mágoas que m'invadem sem poder...
Cab'em minh'alma grito tão profundo:
O pranto de quem chora sem querer.

Não conheço ninguém que tenh'amado
Sem martírio, até transportado
Pela paixão no mundo numa cruz.

Mas se couber no mund'uma criança,
Pode no mundo caber a 'sperança
E no final do túnel uma luz.


Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário